07 agosto 2008

Adélia Prado



As poesias de Adélia Prado valem - para mim - mais que que dezenas de horas num divã de qualquer analista.
Ela toca n'alma, consegue retirar do ordinário, do cotidiano, as belezas e os significados mais profundos.
Foi um grande prazer participar do projeto "Sempre um Papo" no SESC, saí de lá com um olhar mais humano, mais artístico.

Taí, deveria haver um audiolivro dela. Seria um grande sucesso!

3 Comentários:

Anonymous Ana disse...

Ei, gostei muito do seu blog! Voltarei mais vezes! Passa no meu também, tá? Beijo!

3:00 PM  
Anonymous beth ainda.zip.net disse...

A Poesia, a Salvação e a Vida

Eu vivo sob um poder/
que às vezes está no sonho,/
no som de certas palavras agrupadas,/
em coisas que dentro de mim/
refulgem como ouro:/
a baciinha de lata onde meu pai/
fazia espuma com o pincel de barba./
De tudo uma veste teço e me
cubro./
Mas, se esqueço a paciência,/
me escapam do céu/
e a margarida-do-campo.

Adélia Prado, a poetisa do cotidiano.

4:14 PM  
Blogger Lena disse...

Poesias-filosofias daquelas de conduzir a gente ao nirvana em pleno congestionamento... audiolivro já!

7:50 AM  

Postar um comentário

/* ----------------------------------------------- Blogger Template Style Name: Minima Ochre Designer: Douglas Bowman URL: www.stopdesign.com Date: 28 Feb 2004 ----------------------------------------------- */

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial