03 fevereiro 2008

"A menina que roubava livros"

Markus Zusak -
Jovem australiano nos leva em sua narrativa aos tempos da Segunda Guerra Mundial dentro da própria Alemanha. Num tom poético e envolvente, mas não menos duro e horrível do que foi seu verdadeiro significado, ele coloca a Morte como a narradora e “quando a Morte conta uma história, você deve parar para ler”.


UMA PEQUENA TEORIA
As pessoas só observam as cores do dia no começo e no fim, mas, para mim, está muito claro que o dia se funde através de uma multidão de matizes e entonações, a cada momento que passa.
Uma só hora pode consistir em milhares de cores diferentes.
Amarelos céreo, azuis borrifados de nuvens. Escuridões enevoadas.
No meu ramo de atividade, faço questão de notá-los.”
A Morte
Aqui, uma entrevista com o autor na BBC: THE BOOK THIEF

2 Comentários:

Blogger bethar disse...

Semana passada ouvi comentários de um 'colega' a respeito da tradução desta obra. Ah, sempre a tradução! dizia ele que uma das palavras traduzidos para o português ele nunca lera antes. E ele é da área. A 'Morte' o medo ancestral dos humanos. E pensar na própria morte é exercício inútil. Vamos pensar na vida que contém a morte que se transforma em vida.

5:23 AM  
Anonymous Vera disse...

Boa dica, pretendo começar hoje este livro, pois na fila das pessoas de casa, chegou a minha vez. O que mais me agrada em qualquer livro, seja qualquer tema for é o tom poético e envolvente. Seu post faz acelerar meu movimento. Boa Re!

3:11 PM  

Postar um comentário

/* ----------------------------------------------- Blogger Template Style Name: Minima Ochre Designer: Douglas Bowman URL: www.stopdesign.com Date: 28 Feb 2004 ----------------------------------------------- */

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial